Bancada do PT no Senado vai acionar Guedes na PGR e Comissão de Ética da Presidência, diz Humberto

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), anunciou, nesta terça-feira (26), que a bancada do partido na Casa vai ingressar com representação contra o ministro da Economia, Paulo Guedes, na Procuradoria-Geral da República e na Comissão de Ética Pública da Presidência por ele ter ameaçado o país com um novo AI-5 para conter manifestações contra o governo Bolsonaro.

De acordo com o senador, a posição do ministro é absolutamente inaceitável e se iguala às declarações recentes e do passado de integrantes e aliados do presidente de endurecer o regime no país por meio de um novo ato inconstitucional.

“Assim como o próprio Bolsonaro, seus familiares e integrantes da atual gestão, Guedes demonstra apreço pelo autoritarismo, pela defesa da restrição de liberdade de expressão e de opinião e ameaça utilizar absurdos mecanismos para impedir a liberdade de organização e manifestação da população brasileira, atingindo ainda os movimentos sociais organizados”, afirmou.

Para Humberto, a política econômica do governo está conduzindo o Brasil para uma situação de empobrecimento dos brasileiros, de ampliação das desigualdades, do retorno da fome e desespero do povo. Ele lembrou que o Palácio do Planalto está enviando, agora, ao Congresso Nacional o chamado projeto de excludente de ilicitude, que permite que policiais e militares reprimam manifestações políticas com violência, inclusive matando, sem serem responsabilizados.

“Isso é um claro aviso para tentar intimidar o povo, para dizer que vão fortalecer a posição do governo contra o direito de expressão. Aqui, manifesto meu total repúdio e espero que ele seja devidamente punido nas instâncias competentes”, comentou.

O parlamentar ressaltou que a reação à fala de Guedes sobre um novo AI-5 partiu, felizmente, de diferentes autoridades em todo o país. Segundo ele, é preciso estar sempre alerta, pois o governo não tem qualquer projeto para o Brasil e o povo, somente a ideia de implementar uma ditadura.

Por isso, vamos continuar lutando e resistindo para preservar a nossa democracia.

Senador Humberto