CPI mista das Fake News vai quebrar sigilo de blogueiro apoiador de Bolsonaro, diz Humberto

Convocado pela CPI mista das Fake News a prestar depoimento nesta terça-feira (5), o blogueiro responsável pelo site Terça Livre, Allan dos Santos, terá os sigilos bancários, fiscal e telefone quebrados pela comissão. Um dos responsáveis pelo pedido de quebra dos sigilos do apoiador de Bolsonaro, inclusive de dados, que permite acesso às redes sociais, o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), declarou que a máquina de produção de informações falsas será responsabilizada em breve.

Vamos abrir o sigilo do editor do Terça Livre e da sua empresa, que foi aberta, inclusive, em nome de um empresário da área alimentícia do país.

Senador Humberto

De acordo com o parlamentar, uma das principais mentiras divulgadas pelo site de direita Terça Livre foi a de que o jornalista Glenn Greenwald, editor do Intercept, acabou internado num hospital depois de sofrer uma overdose por uso de cocaína – fato jamais comprovado e absolutamente desprovido de qualquer prova e evidência.

“Agora, vamos abrir o sigilo do editor desse blog e da sua empresa, que foi aberta, inclusive, em nome de um empresário da área alimentícia do país. E não é questão de devassa fiscal, não. O trabalho de investigação tem como objetivo saber quem financiou e financia esse tipo de atividade ilegal, que se baseia em calúnia, injúria e difamação”, afirmou.

O senador ressaltou que Allan, inicialmente, concordou em abrir os seus sigilos, mas que, depois de orientado pela advogada, voltou atrás e pediu ônus da prova antes da quebra. “Mas essa CPI tem o poder de quebrar o sigilo dos investigados. Vamos aprovar um requerimento nesse sentido”, sublinhou.

Humberto lembrou que um jornalista, como se declara Allan dos Santos, não pode, jamais, publicar uma informação antes de checá-la e de garantir o direito ao contraditório dos citados. Humberto, que é jornalista diplomado, ao contrário do blogueiro, disse que esse tipo de difusão de fake news é criminoso e assassina reputações, destrói famílias e acaba com carreiras profissionais.

“Um jornalista age de maneira irresponsável e criminosa ao publicar uma informação sem checá-la. O senhor Allan dos Santos não pode querer justificar os seus crimes com base na liberdade de expressão e de imprensa e que apenas está reproduzindo conteúdo de terceiros”, observou.

O líder do PT também criticou o comportamento de parlamentares de partidos de apoio do governo na CPI durante o depoimento do blogueiro, que, segundo ele, dão suporte à produção de fake news para atingir a honra de adversários políticos. Humberto avalia que o Palácio do Planalto deu uma ordem para unir a tropa de choque no Congresso a fim de proteger Allan dos Santos.

“A Comissão Parlamentar de Inquérito mista vai destrinchar toda essa rede suja de mentiras bolsonarista. O próprio presidente da República apoia e divulga essas iniciativas, mesmo sabendo que se trata de algo calunioso. Faz parte da estratégia de difamar inimigos”, observou.

Humberto concluiu que o depoente tentou obstruir os trabalhos da CPI, tergiversou durante todo o seu depoimento e não respondendo às perguntas formuladas pelos parlamentares. “Mas iremos aprofundar as investigações com as quebras de sigilo”, contou.