Humberto insiste no fim da contratação de cabos eleitorais


Nesta quarta-feira (13/11), durante reexame da proposta de minirreforma eleitoral na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, o senador Humberto Costa (PT/PE), defendeu a proibição da contração remunerada de cabos eleitorais. Esta proposta fazia parte Projeto de Lei do Senado (PLS) nº 441/2012, já aprovado na Casa, mas não mais integra o substitutivo que passou pela Câmara dos Deputados.
Humberto Costa e outros três senadores classificaram a permissão como compra disfarçada de votos. O PLS 441/2012 será novamente submetido ao plenário do Senado, juntamente com 11 destaques para votação em separado (DVS), dos quais dois foram apresentados pelo petista representante de Pernambuco em parceria com o Senador Pedro Taques (PDT/MT), a fim de resgatar o texto aprovado pelo Senado.
Os mesmos dois parlamentares defenderam decisão dos deputados de suspender a autorização para concessionário ou permissionário de serviço público fazer doação de campanha a partido ou candidato, desde que não seja o responsável direto. Essa mudança pela Câmara foi rejeitada pelo relator do projeto na CCJ, o Senador Valdir Raupp (PMDB/RO). “Quem tende a se beneficiar das doações é quem já está no governo e isso cria desigualdade em relação aos demais candidatos”, avaliou Humberto.
Fonte: Blog de Humberto, com informações da Agência Senado.
Foto: André Corrêa / Liderança do PT no Senado.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment