Humberto pede demissão de Weintraub e Senado chama ministro a se explicar

Foto: Roberto Stuckert Filho

Preocupado com o futuro de milhões de estudantes que fizeram o Enem e foram prejudicados por uma sucessão de falhas cometidas pelo Ministério da Educação (MEC), o senador Humberto Costa (PT-PE) requereu, nesta terça-feira (4), a ida do ministro Abraham Weintraub à Comissão de Educação do Senado. Ele terá de explicar, já na próxima terça-feira (11), como transformou o exame em um vexame. Humberto cobrou a demissão do ministro, considerado por ele uma vergonha ao Brasil e um enorme risco para a educação do país. 

Para Humberto, o pior ministro da Educação da história é o grande responsável pela lambança registrada com o Exame Nacional do Ensino Médio, que afetou quem realizou a prova no mês passado e tornou a questão acadêmica um grave problema no Judiciário, inclusive com a suspeição do resultado e a suspensão de matrículas. 

“É uma demonstração de incompetência, irresponsabilidade, falta de compromisso público e prepotência. O Senado não pode deixar de ouvir esse cidadão. É o primeiro Enem de Weintraub e já temos esse desastre colossal, com o exame e o Sisu desacreditados, atacados por uma série de ações judiciais, com repercussão internacional, tendo em conta que as notas são aceitas para ingresso também em universidades de outros países”, resumiu.

Em tom irônico, o parlamentar afirmou que algum juiz deveria decretar uma medida protetiva a fim de impedir o ministro de se aproximar da língua portuguesa, porque toda vez que chega perto dela, ele a agride e a espanca.

É vergonhoso assistir ao titular do MEC cometer erros grosseiros em apenas 280 caracteres”.

Senador Humberto

O senador avalia que, para além do descaso, Weintraub ainda atropelou os princípios da impessoalidade na administração pública ao decidir aceitar a reavaliação de uma nota da prova de quem é alinhado ao governo – por meio do Twitter. Enquanto isso, outras situações idênticas não têm qualquer resposta da pasta.

Infelizmente, a ignorância e a arrogância, a mentira e a falta de conhecimento histórico nunca foram tão valorizadas como agora”.

Senador Humberto

De acordo com o parlamentar, o Brasil tem tido azar na área de educação desde que a presidenta Dilma foi destituída do cargo ilegalmente. De lá para cá, segundo ele, todas as escolhas dos ministros da Educação foram malfeitas. E Bolsonaro ainda conseguiu superar seu antecessor. 

“Temer, que ganhou a Presidência de presente depois de ter derrubado Dilma, escolheu um terrível ministro para a área: Mendonça Filho (DEM). Ele é meu conterrâneo, mas foi responsável por desmontar programas e projetos importantes e não fez nada de novo. Era, para mim, o pior ministro do MEC até então. Aí veio Bolsonaro e se sentiu, digamos, desafiado por Temer. Escolheu um ainda pior: aquele Ricardo Vélez. E como se já não fosse suficientemente ruim, o presidente conseguiu nomear alguém ainda pior para substituí-lo, que é esse enxovedo, essa figura apatetada e aparvalhada de Abraham Weintraub”, disse.