Humberto pede que TCU investigue crise das vacinas e quer convocação de Pazuello

Foto: Roberto Stuckert Filho

O senador Humberto Costa (PT-PE) levou ao Tribunal de Contas da União (TCU) um pedido para que a Corte se manifeste sobre a disposição do presidente Jair Bolsonaro de desistir da compra de 46 milhões de doses de vacina contra o coronavírus. Paralelamente, Humberto apresentou ao Senado um requerimento para que a Casa convoque o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para explicar por que a compra encabeçada pela pasta foi subitamente cancelada.

Na petição ao TCU, Humberto e outros nove senadores e deputados federais alegam que a medida anunciada por Bolsonaro de cancelar a aquisição pode trazer sérios danos aos cofres públicos, desperdiçando bilhões de reais investidos até agora em acordos de pesquisas com instituições públicas, como a Fiocruz e o Instituto Butantã, e em ações de enfrentamento à pandemia.


É inaceitável que, em um quadro de mais de 155 mil mortes como o que já chegamos, tudo seja estancado por atos tresloucados do presidente da República”.

Senador Humberto


O senador afirmou que acionou o TCU para que ele se manifeste sobre essa medida que atenta contra os princípios que devem nortear as despesas públicas.

Humberto Costa apresentou, ainda, um requerimento de convocação do general Pazuello, ministro da Saúde, para que ele explique ao Senado o que levou o presidente da República a anular uma compra sobre a qual já tinha dado o seu acordo, deixando descoberta a população brasileira da imunização contra a Covid-19. “Não é cabível que, em um dia, o ministro da Saúde anuncie a aquisição de 46 milhões de doses de vacina e, no outro, pelo Twitter, Bolsonaro cancele uma medida dessa magnitude. É dever do Congresso fiscalizar o que houve”, concluiu Humberto.