Na reabertura dos trabalhos do Senado, Humberto denuncia abusos da Lava Jato e perseguição a Lula e ao PT

Após a eleição para a mesa diretora da Casa e abertura do ano legislativo do Congresso Nacional, o Senado retomou, nesta quinta-feira (4), suas sessões ordinárias para apreciação de projetos de lei e medidas provisórias. Em discurso por meio remoto, o senador Humberto Costa (PT-PE) denunciou os abusos cometidos pela operação Lava Jato, cuja força-tarefa em Curitiba foi extinta ontem pelo próprio Ministério Público Federal (MPF), e acusou o ex-juiz Sergio Moro e os procuradores do caso de montarem um conluio para perseguir o ex-presidente Lula e o PT.

Humberto trouxe aos senadores as revelações que começam a ser conhecidas dos diálogos vazados por hackers entre os membros da Lava Jato no Judiciário, na Polícia Federal e no MPF. A pedido da defesa de Lula, o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou o acesso às peças, até hoje mantidas em sigilo.

Os diálogos são assombrosos, reveladores, nos mínimos detalhes, de que a Lava Jato foi arquitetada com fins políticos para destruir a economia do Brasil e prender o maior presidente da nossa história para retirá-lo da eleição.”

Senador Humberto

Para o senador, sempre foi um jogo de cartas marcadas, de interesses financeiros e políticos definidos, organizada à margem do Estado, da Constituição, das leis.

Para o senador, o STF já dispõe de provas evidentes para anular as condenações impostas a Lula e devolver os direitos políticos do ex-presidente, “vítima de uma verdadeira caçada comandada por Moro, que, depois de prendê-lo e dar a vitória nas eleições de 2018 a Bolsonaro, abandonou a toga para ser funcionário desse presidente fascista por quem foi enxotado do Ministério da Justiça”.