Renda Cidadã é estelionato oficial com fins eleitorais, afirma Humberto

Extremamente criticado pelo mercado e por diversos setores da sociedade, o programa Renda Cidadã, anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro, foi avaliado pelo senador Humberto Costa (PT-PE) como um “estelionato oficial” praticado pelo governo com olho nas eleições de 2022. O uso de dinheiro destinado à educação básica e ao pagamento de dívidas judiciais para financiar o novo programa foi duramente atacado e qualificado como calote, contabilidade criativa e pedalada fiscal até mesmo por integrantes de instituições fiscais e do Tribunal de Contas da União (TCU).

Pela proposta, Bolsonaro quer retirar dinheiro destinado ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), prejudicando os municípios mais pobres do país, e também dos precatórios, dívidas reconhecidas pela Justiça, que obrigam o governo a fazer a quitação aos contribuintes. Muitas delas são originárias de demandas envolvendo aposentadorias e pensões. Se esses recursos forem usados, trabalhadores e beneficiários vitoriosos nas causas não serão pagos.

Isso é um absurdo sem tamanho. Bolsonaro quer acabar com o Bolsa Família, passando mão no dinheiro de quem mais precisa para criar um programa que tenha a sua marca, um programa com viés eleitoral”.

Senador Humberto

Para o senador, o presidente faz de conta que vai ajudar os pobres, só que retirando dinheiro dos mais pobres. “É um estelionato oficial com fins eleitorais”, afirmou.

Humberto ressaltou que a decisão do governo teve repercussão amplamente negativa no mercado financeiro, aumentando as desconfianças sobre o Brasil em relação à solidez financeira do país. “No momento em que estamos passando pela maior fuga de dólares e de investidores da história, o governo comete mais uma lambança dessa proporção. É um sinal muito ruim que nós damos internacionalmente e, por outro lado, isso só mostra que não temos capacidade de resolver a grave crise econômica interna, e que a fome e a pobreza tendem a se alastrar. Porque não é com programas de mentira que vamos resolver problemas reais”, concluiu Humberto.