STF tem de condenar parcialidade de Moro e libertar Lula

Foto: Roberto Stuckert Filho

Atento à agenda secreta do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, em agências de espionagem e inteligência dos EUA e do grave caso de carregamento de cocaína no avião presidencial de Bolsonaro, o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), cobrou explicações sobre o uso de dinheiro público na viagem de Moro “para buscar uma defesa aos crimes cometidos” e sobre a droga apreendida com o militar da Aeronáutica, na Espanha.

Em discurso no plenário do Senado nesta quarta-feira (26), o parlamentar criticou os escândalos protagonizados pela gestão do capitão reformado, incluindo as manchas na trajetória do seu principal ministro, e pediu que o Supremo Tribunal Federal (STF) analise, o quanto antes, o mérito do pedido feito pela defesa de Lula sobre a suspeição de Moro no julgamento do ex-presidente.

“É uma vergonha atrás da outra perante o mundo. Agora, os ministros da Corte têm de mostrar que a Lava Jato pode continuar existindo, mas sem ter dentro de si os frutos podres que podem ameaçá-la futuramente se lá continuarem. É preciso punir membros do próprio Poder Judiciário, que, travestidos de juízes, usaram a toga com a única finalidade de viabilizar os próprios projetos políticos pessoais”, disparou. 

O senador avisou que o PT vai levar à Organização das Nações Unidas (ONU) todo o histórico da promíscua troca de mensagens entre o julgador e o Estado acusador para que o mundo conheça as minúcias da escandalosa articulação institucional montada para condenar um indivíduo.

Segundo ele, o objetivo é mostrar a orquestrada atuação de membros do atual governo empenhados em impedir a candidatura de Lula e a nociva e perigosa instrumentalização das Forças Armadas, das quais alguns representantes do alto comando agiram deliberadamente para emparedar o próprio STF e pressioná-lo no julgamento do tema da prisão em segunda instância.

“A ONU terá em mão todos os elementos necessários a comprovar que a democracia brasileira foi capturada em uma trama envolvendo setores da Polícia Federal, Poder Judiciário, Ministério Público, grande mídia e da elite nacional, que desrespeitou o devido processo legal, rasgou a nossa Constituição e se valeu de incontáveis expedientes espúrios para condenar um homem”, ressaltou.

O líder do PT no Senado também chamou a atenção para as perseguições que estão ocorrendo contra jornalistas que criticam o governo e garantiu ser inaceitável que um país que diz ter liberdades e garantias individuais em pleno funcionamento possa experimentar práticas tão macabras como essas.